terça-feira, 25 de setembro de 2012

Aquarion EVOL: O amor supera todas as barreiras


Por mais que 2012 não esteja se mostrando um ano tão forte para animes como 2011 foi, temos obras deste ano que já conquistaram seu cantinho de destaque na indústria dos animes. Sakamichi no Apollon é simplesmente o melhor anime do ano por saber combinar jazz, pano de fundo histórico e uma história de amor e amizade com maestria; Fate/zero possui roteiro sombrio e detalhado combinado com boa fantasia e ação para agradar a gregos e troianos. Até Jinrui wa Suitai Shimashita, da temporada de Julho, demonstrou um imenso conteúdo artístico e complexo em seus mini-arcos cheios de sutilezas. Esses são alguns dos melhores exemplos.

...Mas aqui estou eu para falar de diversão bizarramente boba, colorida e supostamente "descerebrada", Aquarion EVOL. Vocês sabem, é bom comentar algo diferente vez ou outra - e de preferência, algo que tenha algum valor interessante, mesmo que perdido entre outras coisas de maior destaque.

O fato é que Aquarion EVOL é tão honesto em sua proposta que é capaz de atender certos gostos um pouco mais "excêntricos". Tem uma série de falhas, claro, mas de certa forma é uma experiência marcante.

(Obs: review sem spoilers - tem algumas referências a acontecimentos mais adiantados na história, mas nada explícito e que comprometa a experiência de assistir.)

Aquarion EVOL é a continuação do anime Sousei no Aquarion lançado pelo estúdio Satelight em 2005. Seus eventos situam-se 12000 anos após os eventos do anime anterior; a história envolve estudantes e superiores da orgazinação Neo DEAVA, do planeta Vega, onde os jovens Elementos, indivíduos com habilidades especiais capazes de pilotar vetores que, combinados em grupos de três, transformam-se em robôs gigantes conhecidos como Aquaria, lutam contra forças do planeta Altair. O protagonista, Amata Sora, é um jovem que passou a vida escondendo sua habilidade de voar, até o dia em que, para proteger a jovem Mikono Suzushiro de uma das invasões de Altair, acaba envolvendo ambos com a Neo DEAVA e tornando-se um dos novos Elementos.

O anime foi dirigido por Shoji Kawamori, conhecido pela franquia Macross (da qual nunca assisti nada, uma das minhas "falhas" como fã de anime). O roteiro ficou por conta de Mari Okada, uma das mulheres mais famosas na indústria de animes - e uma das mais polêmicas - e a composição musical ficou por conta da renomada Yoko Kanno, que realiza aqui mais um trabalho marcante. EVOL foi transmitido de Janeiro a Julho deste ano [2012] e, apesar de não ter sido muito visto ou comentado entre os fãs brasileiros, provocou disucssões acaloradas dentro de seu pequeno fandom.


Em primeiro lugar, já aviso: não assisti Sousei no Aquarion (mas pretendo fazê-lo em algum momento), mas isso não me impediu de aproveitar EVOL. Claro, quem conhece a série original deve captar melhor as referências, mas claramente o anime se preocupa em apresentar o background de seu universo de forma a atrair novos espectadores à franquia. De qualquer forma, não estou apta a comentar sobre as referências e os plot twists de EVOL que se relacionam a elas - portanto, indico fortemente que também procurem opiniões de pessoas que conhecem mais a fundo a franquia.

Falando sobre a série em si, ela é... Uma experiência estranha. Divertida, polêmica, capaz de prender a atenção e a expectativa, mas não deixa de parecer um organismo híbrido, uma mistura de linhas de diálogo propositalmente ridículas e exageradas, simbolismos filosóficos, animação poderosa em cenas de luta (apesar do CG dos mechas não ser um dos melhores exemplos atuais), cenários belamente detalhados (o que já é uma marca de boa parte das produções do Satelight) e uma aparente consciência de fazer o que faz para divertir - ao menos é o feeling que a série passa.

Primeiramente: não espere grande foco nos mechas. A série constantemente trata de temas como amor, reencarnação, união e maturidade a partir de óticas um tanto inusitadas: a premissa da série envolve mechas que se formam a partir de três Elementos que passam por uma espécie de, erm, orgasmo não, vocês não leram errado durante a união espiritual; há também espaço para a proibição de romances entre moças e rapazes, capacidade de aumentar a própria percepção dentro do Aquaria ao rasgar seu uniforme (FANSEEERVICE!) e até metáforas bizarras envolvendo rosquinhas levadas de forma teatral... Tem mais, claro, e ainda mais maluco, mas para evitar spoilers é melhor não mencionar. O curioso é que, se por um lado tudo isso parece um desperdício de boas ideias... Bem, talvez seja mesmo, mas por outro lado há uma quantidade notável de detalhes e representações que ajudam o espectador a se apegar no conteúdo maluco apresentado sem perder de vista o "entretenimento pipoca".

Outro ponto do forte do anime é contar com um elenco de personagens diversificado e carismático. Claro, são adolescentes cheios de hormônios fazendo suas descobertas sobre amor de uma forma um tanto idealizada e ingênua (o que parece irônico, levando em conta como a série brinca com tantas metáforas sexuais - ou será que não?), mas o que afasta-os da típica falta de empatia provocada pela maioria dos roteiros adolescentes é o investimentos feito em suas relações, genuínas e cheias de química. Há casais que provavelmente marcarão entre os melhores do ano.


Por outro lado, ironicamente Aquarion EVOL tem falhas sérias em seu romance principal. Se por um lado o elenco secundário possui desenvolvido na linha do satisfatório ou até mais do que satisfatório, tornando-os genuinamente envolventes (em especial figuras como o divertido Andy e o trágico Shrade), o "quadrilátero amoroso" principal - Amata, Mikono, Kagura e Zessica - acaba pecando nesse aspecto. Amata e Kagura possuem pontos interessantes que até conseguem dar novas dimensões a seus personagens, mas inevitalvelmente esses pontos são apresentados apenas próximos ao final da série, o que pode desagradar alguns. Mikono tem momentos em que demonstra bem seu apoio emocional e afetivo a outros personagens (isso fica bem destacado principalmente no excelente episódio 14), mas no final das contas não escapa muito do estereótipo de donzela-em-apuros.

Quanto a Zessica, o caso é complicado. É compreensível a mudança dela da despreocupação e curiosidade natural ao sofrimento por amor e sua resolução final de certa forma funciona dentro da temática proposta pela série, mas as mudanças em seu comportamento são executadas pelo roteiro de forma exagerada demais.


Por fim, Aquarion EVOL é, por bem ou por mal, uma jornada intensa. Da minha parte, posso dizer que gostei; mesmo com suas falhas (principalmente em "buracos" no enredo), a serie possui intenção clara de divertir e tenta honestamente explorar e representar certos temas - mesmo que de uma forma um tanto bizarra. E é essa honestidade que conquista a atenção mesmo de alguns que já estão cansados de animes que se enchem de clichês sem adicionar algo novo a seus gêneros, seja em execução ou conteúdo.

Agora, para quem recomendar? Essa é uma tarefa difícil. Não deve agradar tanto os fãs de mechas mais tradicionais, assim como deve provocar aversão nos que preferem entretenimento mais sério ou menos recorrente de elementos ridículos; fãs de shipping (aqueles que torcem para que seu casal favorito se realize no final de uma série) ironicamente correm risco de se irritarem com este anime sobre amor quebrando barreiras, também. Porém, quem quiser experimentar algo diferente, capaz de causar fortes emoções, por pura diversão, pode tentar assistir esse. No fundo, Aquarion EVOL é uma mistura de elementos comuns e clichês com humor intencional (e não-intencional também) que na soma de suas partes consegue criar um conjunto estranhamente único.

----

Artigos recomendados:

17 comentários:

  1. Saudações

    Não assisti à este anime... Entretanto, foi interessante ler uma review/sinopse dele bem feita e direta no ponto, contando certas características e dando opiniões bem sinceras sobre a obra.

    Particularmente, EVOL não me pareceu (à partir deste texto) ter uma história rasa. Pareceu-me que a mesma flui bem, com certa categoria até. Não costumo gostar muito de histórias com mechas (salvo algumas exceções) mas ainda assim me pareceu interessante.

    Ótimo texto, Mary.


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carlírio ^_^

      Olha, eu diria que a história flui bem mais ou menos pelos dois primeiros terços, mas a partir daí a série prende mais pela quantidade imensa de coisas acontecendo. Continua divertido, mas acaba parecendo um trem desgovernado.

      Quanto aos mechas, a atenção dada a eles é bem pequena - são praticamente elementos ali apenas para mover as tramas dos personagens.

      Excluir
  2. Olha, eu não confio no Shoji Kawamori. Ele pode acertar nas alturas quanto nos oferecer horrores abismais e inenarráveis. e quando vi ESSA imagem...

    http://otakuness.files.wordpress.com/2012/04/aquarion-evol-16-05.jpg

    Não, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você chegou exatamente em um dos pontos mais bizarros que mencionei apenas por cima mesmo. ;)

      Mas acho que além da influência do Kawamori, tem muito da Mari Okada totalmente livre nessa série. Parece que deixaram ela colocar seu drama e suas ideias mais pervertidas em nível máximo, por bem ou por mal...

      Excluir
  3. Não recomendo a nenhum amigo meu este anime... acho que falhou em todas as suas propostas, até mesmo na principal: romance.

    O estudio trabalhou bem no designer Mecha e no escolha de tons nas cenas... fora que é bem desenhado. A arte é linda, tanto personagens quanto cenarios, mmaaassss o roteiro... o enredo que segue... as reviravoltas na historia... WTF!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As reviravoltas na história são absurdas, mas uma coisa é certa: goste ou não, elas seguram sua atenção.

      E bem, consegui curtir a série por admirar sua honestidade em tentar ser divertida, mas acredite, vi um flame imenso em fóruns por conta do roteiro. E foi realmente um desperdício o romance principal; admito que se fosse melhor eu teria gostado mais ainda da série.

      Excluir
  4. Lendo esse seu texto, Mary, me lembrou de Star Driver, onde o apelo também é no fator diversão - Se olharmos para o anime de forma séria, simplesmente não dá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi você e o pessoal comentando sobre Star Driver esses dias no Twitter... Cheguei a pensar em assistir só pela diversão, quando quiser algo descompromissado. x)

      Mas é isso mesmo, se você tende a levar a sério vai ter dor de cabeça assistindo. Mas EVOL é bem alucinante, posso garantir. ;)

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Olha o meu post ali.LOL

    Ok,comento como alguém que pegou Aquarion Evol na repescagem: o meu primeiro momento de aversão foi (justamente) nas "uniões espirituais" (orgasmos? LOL). Mas,depois de um tempo,achava essas partes muito engraçadas xD. Quer dizer,AE não deve ser visto pelos mais ortodoxos (certeza!).Outra que ela não é de todo ruim. Bom,ainda não chega a ser colocado na minha lista de favoritos.Porém,fica ali do lado,como um animê divertido e bizarro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos motivos que me levou a não assistir o anime quando estreou foi justamente toda essa coisa das uniões espirituais. Mas com o passar do tempo vira apenas parte da graça da série. xD

      Excluir
  7. Yooo! tenho um selinho kawaii para você aqui

    Espero que goste!

    ResponderExcluir
  8. EVOL [não vi o 1º Aquarion, o Genesis... mas to vendo agora xD]

    eu vi a estréia [ep. duplo] e DROPEI na mesma hora... achei muito genérico, romance bobo, Mechas comuns, em CG e sem graça...

    felizmente acompanho o blog do PSGELS que vinha falando muito bem, daí baixei o 3º episodio pra "testar" e a ABERTURA já me ganhou kkkk

    mas daí vamos ao episodio... comecei ainda "descrente". porém com o passar dos primeiros episódios, as situações exageradamente épicas criadas, os personagens que se misturam muito bem, acabei gostando do anime.

    as "bizarrices" em cada episódio [tipo "AMOR É UMA ROSQUINHA"] e por aí vai... me conquistaram mais que tudo, sempre postava as fotos de cenas loucas no twitter... as filosofias do mito FUDO [que faz as mesmas analogias piradas no primeiro anime] são ótimas.

    trilha sonora é MUITO BOA... e ainda usa trechos da trilha do 1º anime [ótima tambem]... quando a história fica mais densa o anime te prende mais, apesar de ficar mais sério, ainda mantém um bom nível...

    enfim, anime que eu dificilmente recomendo, mas foi MUITO LEGAL de assistir [mesma coisa que digo sobre HORIZON...]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre os dois primeiros episódios tive a mesma sensação, mas se parar para olhar a série toda é assim. Os primeiros episódios causam mais estranheza pelo impacto da novidade, com o tempo se acostuma mais.
      E o Fudo é um mito mesmo, Troll master. Entendedores entenderão. xD

      Sobre Horizon, ouço muita gente comentar, mas as opiniões parecem muito divididas. Não acho que vou assistir no futuro, não.

      Excluir
  9. Oi Mary Vanucchi -Corrente de Reviews mexeu mesmo com vc...Aquarian Evol XD-!


    Certamente 2011 tem muito anime que o fandom gostou de falar com consenso ou não(como sempre),exs: Brigar por comida num sentido literal(Ben-To);Super-heróis & super-humanos,no sentido emocional(Tiger & Bunny);Desconstrução do Mahou Shoujo e blá-blá-blá(Puella Magi Madoka Magica);Simbologias de sociedade nostálgica(Mawaru Penguindrum);(Re-)construindo relações familiares(Usagi Drop);Brincando com coisa séria,o tempo(Steins;Gate);Reescrevendo um livro que se assemelha a um diário,em contextos a pensar(Natsume Yuujinchou),Game Survival com desequilibrados(Mirai Nikki);Romance curto com gente que torce o nariz(No.6) e etc porque não vou me extender mais.*Nota: Qualquer correção na data dos animes,podem me corrigir(sem hostilidade,de preferência ^^).

    "Excentricidade é qualidade dos gênios,dos loucos ou curiosos. XD"Marcante pode ser porque não é bem similar a produtos animados em massa,análogo a estética que sua primeira figura insinuante nos revela.

    Sousei no Aquarion <= Aquarian Evol(aférese de EVOLUTION,pois não?).E pós-12.000 primaveras -Bem mais que o calendário D.C.[Depois de Cristo] contém-.Já ter que ser 3 para pilotar vetores e montar um Mecha(Robô gigante,em definição geral),Aquaria,é situação mais que propícia para formar esse triângulo de relacionamento.Paciência para manter 3 parceiros unidos[Vide o caso da banda Oasis com os irmãos Liam e Noel Gallagher.Tenso...],no entanto as questões como o destino do mundo numa batalha sem fim definido contra as forças do planeta Altair ficam acima disso.

    Com uma correlação com o elenco de Aquarian Evol,quase tinha me convencido que não tinha assistido Macross,no entanto não é que eu tinha assistido "Macross Plus",ova de 4 episódios,que mistura a animação tradicional que tem um charme(Diga-se 'en passant') com a gerada em computador.Pelo que pesquisei a pouco tempo,foi a partir dessa inovação que as portas se abriram para o uso de imagens geradas por computador em animações nipônicas.Outros elementos a citar são a trilha ao estilo de mega shows(Pense em Maracanã lotado.Agora pense numas músicas.As executadas nos OVAs tem esse cilma de superprodução) e um mote que deve surpreender.Muito chique,né? ^_^
    E no caso de menos comentado,não sei tu,porém Aquarian Evol via vez ou outra uma exclamação sobre uma imagem do anime.E a parte que fazia a "imaginação voar"(eufemismo) era convenientemente ocultada,será por quê?

    Quanto a Sousei no Aquarion(Pelo nome não dá pra adivinhar que é o que precede Aquarian Evol),li a sinopse no MAL e ele tem um tom -em interpretação pessoal- bem mais profético.Todavia,os novos atrativos do "Evol" me parecem -numa percepção a priori- conectáveis.Só o que como você deu a entender,aquele que vi o Sousei no Aquarion deve pegar mais coisas ou mais rapidamente,o que poderia atrapalhar é só aquela velha mania de sabotar uma diversão possível com comparações de fanatismo com o "original".
    Nota: Não sei se veio a saber,mas Sousei no Aquarion tem 2 OVAs.


    Bai Bye Mary Vanucchi!

    ResponderExcluir
  10. (Segunda Parte-Parte Final)


    Já a experiência,tô vendo[achando] com "um experimento meio metalinguístico abundante em uma 'poesia'" que parece tipo "Não acredito que tão falando/fazendo disso/isso de forma tão metafórica e dubitavelmente ingênua".Aparentemente tem muita coisa a se pesar: Animação com qualidade bem chamativa X CG não é tanto assim;contações sexuais X Representação romantizada e tornada o mais pueril possível;diálogos 'nonsenses' X Questões tão relevantes como a paz mundial.SEM RUMO OU SEM GRANDES PRETENSÕES A NICHOS(OH,questões a se pensar!).

    Será que mudaram os rumos como num folhetim em que se gravam 30 capítulos e o público se inclinou mais para o que é secundário?E a recomendação pareceu que serve para quem não compromete a diversão ao exclamar continuamente "WTF?{What the f'ck?}!!!"

    Quanto ao post,viu como é oneroso e recompensador falar(e assistir) de animes tão "Undergrounds",além dos que já falou?Mensuro o seu esforço(com bons frutos colhidos) em avaliar tantos aspectos sem conhecer -Empatizei contigo aqui por motivos auto-explicativos ;D- pela boca dos outros(Cof!Cof! Mainstream),só me faltou uma conclusão mais satisfatória(Spoilers,seria TAMBÉM isso?).

    _ De brinde -se sua tolerância aumentou.ISTO É UM AVISO!Pois eu também não assiti essa animação =]: Fique com 'http://www.youtube.com/watch?v=R-d9xX406Xo' com sua proposta que em naves(37s),navios em terra firme tem ousadia num sentido que Aquarian Evol ficou no subentendido.
    _ Nota: Se leu os meus últimos comentários pode imaginar porque demorei para responder. ^^
    _ Teoria: Poderá alguém pensar em associar com "Era de Aquário",era de fraternidade universal baseada na razão onde será possível solucionar os problemas sociais de maneira equitativa para todos e com grandiosas oportunidades para o desenvolvimento intelectual e espiritual.
    - P.S.: Estava para te dizer isso antes: Seu avatar anterior captava(ou foi você que o fez em seguida?) a sua essência naquele determinado momento,isto é,foto.


    Bai Bye Mary Vanucchi!

    ResponderExcluir
  11. Olá, Mary!

    Gostei muito do texto. Sérião!

    Eu simplesmente repudio a temática mechas. Já não sou fã de animes que dão muita, muita ênfase para batalhas, quem dirá com robôs gigantes. Mas eu acabei gostando de um anime, desse ano, que é bem bobinho mesmo. Rinne no Lagrange. Esse, sim, provavelmente eu não poderia recomendar porque não tem atrativo nenhum que não 'garotinhas fazendo moezices com fanservice e lutando com mechas'.

    Contudo, ainda que pareça estranho, gostei desse anime. E pretendo dar uma olhada em Aquarion Evol, mesmo que não tenha lá muita relação com o que eu disse até aqui. Afinal, existem várias formas de representar relações amorosas entre adolescentes, não é? Por que não tentar com um cenário futurístico (?) e mechas, que servem como mero plano de fundo?

    Se a série é estranha do seu jeito e você diz que, por isso, ela é única, não vejo motivos para não dar uma olhada! Obrigado e parabéns pelo texto! abçsss

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo à seção de comentários. Fique livre para expressar sua opinião sobre o assunto em questão, mas atenção: seja educado e respeite as opiniões alheias. =)