domingo, 10 de julho de 2011

A Desconstrução e Reconstrução de Haruhi Suzumiya


Não tem jeito. Eu ia postar primeiro uma conclusão sobre X-Men, mas só para variar desviaram um pouco os planos na minha agenda. Esse negócio de sair navegando antes de blogar não dá certo LOL

Como muitos devem estar pensando, este post está relacionado com a loucura total que se deu após o Video Quest sobre Suzumiya Haruhi no Yuutsu e todos os debates que se sucederam, principalmente no Twitter. Fui uma das que se empolgou nas discussões (LOL) e no embalo acabei tirando novas conclusões sobre a série - conclusões que devem valer a pena serem compartilhadas.

Antes de tudo: Isso não é uma resposta ao Video Quest, nem tem a intenção de ferir a opinião de ninguém. Este post tem apenas a intenção de extravasar minha empolgação e expor o que eu andei matutando após ir de encontro com várias opiniões sobre Suzumiya Haruhi. Respeito e entendo todas as outras opiniões acerca da série, que fique claro isso.

Mas afinal de contas, qual é o objetivo de Suzumiya Haruhi? Esse objetivo foi atingido? E se foi, seria este a razão de tanto sucesso da série?


-Partindo do princípio...



Suzumiya Haruhi é uma série de light novels escrita por Nagaru Tanigawa e ilustrada por Noizi Ito, que teve adaptação para várias mídias - anime, mangá, videogames, audiodramas, etc etc. As vendagens das light novels e dos mangás juntas chegaram a marca de 16, 5 milhões de cópias no mundo todo, enquanto o anime se tornou um fenômeno na internet e chegou a ser uma das séries mais populares do Japão.

A história é sobre uma garota chamada Haruhi Suzumiya, uma garota com a capacidade de inconscientemente alterar a realidade que deseja conhecer aliens, paranormais, viajantes do tempo e qualquer outra coisa que seja sobrenatural. Para cumprir esse objetivo, Haruhi forma um clube na escola, a SOS Brigade, que sem ela saber tem como membros uma alienígena (Yuki Nagato), uma viajante do tempo (Mikuru Asahina) e um paranormal (Itsuki Koizumi). E um cara normal, Kyon, só para completar com uma narrativa sarcástica... E uma filosofia oposta a de Haruhi. Ou não.

Só para esclarecer: este post focará nas adaptações de anime. E ao que não conhecem a franquia, lamento mas esse artigo não é para vocês, principalmente por estar recheado de spoilers. Recomendo que assistam ao anime primeiro, tirem suas próprias conclusões e, se estiverem dispostos, voltem aqui para trocar opiniões.

-Entendendo a Melancolia de Haruhi Suzumiya


Então tá. Uma mistura de slice-of-life com ficção científica, diversos clichês, "modismos" otakus e uma protagonista hiperativa. Uma série que consegue dividir o público em dois extremos, adoradores ou haters. Está  nessa combinação original o brilho de Suzumiya Haruhi, ou será que há algum fator a mais que não foi percebido?

A meu ver, não. Todos que assistem parecem captar as mesmas coisas - afinal, se Suzumiya Haruhi fosse uma série tão complexa duvido que tivesse virado um fenômeno tão imenso.
A questão é que o foco das séries é Haruhi Suzumiya. "Mas é claro que é sua tonta, ela é a protagonista da série ¬¬"


Sim, ela é a protagonista da série. Hiperativa, mimada, sem limites, pseudo-deusa, pseudo-maluca, tem crise de existência, não dá o braço a torcer, persistente, imprudente. Cria haters e adeptos.

Portanto, uma das personagens mais bem construídas dos últimos tempos.


-Separando as partes...

[Ponto 1]
Comecemos comparando a ordem cronológica com a ordem de exibição na TV japonesa.
A meu ver, a ordem de exibição original não passa de uma trollada para atrair a atenção do público para que eles acompanhem esperando que no final aquela bagunça faça sentido.
Porém, é comparando a finalização de cada exibição que as coisas fazem mais sentido.


O episódio que foi exibido como último originalmente é aquele em que Kyon e Haruhi ficam presos em uma dimensão isolada, uma daquelas em que Koizumi e outros paranormais lutam para evitar que engula toda a realidade como conhecemos. Neste episódio Kyon consegue impedir uma catástrofe maior convencendo Haruhi a voltar ao mundo real e beijando-a. É um excelente episódio, dá um tom de conclusão meio aberta, que não chega a ser ruim.

Se uma conclusão dessas é ideal, porque na ordem cronológica é diferente?

Na ordem cronológica, este seria o sexto episódio, ao passo de que o último seria o episódio originalmente colocado como nono, "Algum Dia na Chuva". Este episódio, por sua vez, é totalmente parado, não tem a menor cara de conclusão e não adiciona nada mais além de um pequeno olhar na costumeira e divertida relação entre Haruhi e Kyon. É claro que muita gente que assistisse na ordem cronológica primeiro iria se sentir decepcionado.

Mas afinal, por que raios a produção fez as coisas assim? Por que não fazer a narrativa de uma única forma normal, ao invés de tentar chamar a atenção com essa loucura?

[Ponto 2]
Voltemos nosso olhar aos outros elementos da série. Temos um grupo de adolescences vivendo situações escolares com uma enorme influência de uma ficção científica extremamente bem bolada, que eleva a originalidade da série. A questão é que essa ficção não leva a explicação de uma questão crucial, que é: "por que a Haruhi consegue alterar a realidade?" Todos os personagens que entendem, em parte ou talvez até totalmente, o porquê da Haruhi ser o que é não revelam o que sabem, deixando o público e Kyon, o grande elo entre este e a série, no escuro.


[Ponto 3]
Haruhi X Kyon: este é o principal conflito da série. De um lado temos a Haruhi, cheia de energia e disposição para executar suas ideias malucas, não se importando em passar por cima de quem for. Do outro temos Kyon, o narrador da história, totalmente contrário às atitudes loucas e imprudentes da Haruhi e cheio de comentários sarcásticos que na maior parte das vezes ficam apenas dentro de sua cabeça. Os dois são extremamente opostos.

Ou não.

Tomo esses como os três principais pontos para se chegar a uma conclusão sobre Suzumiya Haruhi. Mas como eles se encaixam, afinal?
Simples. As duas formas de finalização do anime, a ambientalização que gira em torno de Haruhi, o conflito entre ela e Kyon, tudo mostra que: Suzumiya Haruhi no Yuutsu tenta ser tudo: ficção científica, slice-of-life, traz doses de fanservice e modismos otakus. E funciona porque seu objetivo é uma das coisas mais simples possíveis: visa o amadurecimento de uma menina. Haruhi Suzumiya. 

-Partes que compõem o todo


Qual é o principal motivo para Haruhi ter tantos haters?

"Ela é chata. Pratica extorsão, abuso sexual, é mimada, não entende quando passa dos limites, não liga para as opiniões dos outros etc etc." 


É, se eu conhecesse uma pessoa assim realmente não iria simpatizar muito com ela. Mas a verdade é que Haruhi Suzumiya não passa de uma garota perdida. Quem não se sente perdido e procura uma identidade, nessa fase da vida? Eu me sinto assim LOL
Quem se lembra do quinto episódio (na ordem cronológica)? Quando Haruhi explica para Kyon porquê se interessa tanto por coisas sobrenaturais? Naquele momento, ela demonstra se sentir insignificante em um mundo tão grande, tão cheio de pessoas. Por isso acredita que conhecer e lidar com coisas que vão além do que é considerado normal pode torná-la alguém de importância.

A questão é que, aos poucos, Haruhi vai percebendo que isso não é tão importante, mesmo que não admita. Aos poucos ela vai encontrando seu vínculo com os outros ao redor. Duvida? Pois então repare no final do Endless Eight (tá, eu sei que 99,9% dos espectadores do anime querem apagar essa idiotice da mente, a principal falha da série u.u'), em que tudo se resolve após o grupo se reunir para terminar as tarefas de casa? Porque a Haruhi nunca admitiria, mas ela sente falta de fazer coisas comuns com seus amigos. E quanto o momento em que Kyon quase bate nela por tratar a Mikuru como um brinquedo, nas filmagens para o longa-metragem para o festival cultural? Foi o primeiro momento em que ela foi contestada, e apesar de não admitir ela sabe que foi contestada com razão. E quanto ao momento épico do show no festival escolar, como Haruhi se sente depois disso?


"Eu comecei a questionar o que estou fazendo com a minha vida."

Sério, este momento consegue sintetizar tudo o que estou tentando dizer nesta parede de texto! É com certeza um dos melhores momentos do anime! Por quê? Porque aqui é o ponto máximo do amadurecimento da Haruhi. Foi o primeiro momento em que ela foi positivamente reconhecida e divertiu-se fazendo algo comum - não que tocar em uma banda seja algo comum, mas é uma coisa humana. Totalmente oposto ao que ela procurava desde o começo.

Suzumiya Haruhi no Yuutsu acaba apresentando não uma das protagonistas mais endeusadas, mas sim uma das mais humanizadas que conheço.

E as duas diferentes finalizações da série - da ordem cronológica e da ordem da TV - são usadas de forma a demonstrar que Suzmiya Haruhi no Yuutsu não quer explicar um fenômeno extremamente fantástico que é uma garota ganhar o poder de alterar a realidade, mas sim utilizar de um meio criativo para mostrar um intenso desenvolvimento da protagonista. Tipo, "é isso mesmo, o mistério acaba aqui, não há mais o que explicar". Um entretenimento original que acaba se mostrando despretensioso.

E o Kyon, como fica nessa história? Afinal, foi ele o principal elo entre Haruhi e a aceitação da realidade. Pois apesar de ser tão cético, sarcástico e muitas vezes sem expressão perante Haruhi, no fundo ele queria acreditar em todas as coisas malucas que ela procurava; sem falar que foi a primeira pessoa que não a viu apenas como uma doida excêntrica, mas sim além de uma doida excêntrica.

"A Haruhi é a Haruhi, e nada mais."


Agora, antes que isso aqui vire uma grande postagem nonsense e vocês cliquem no "X" da janela, que tal concluir respondendo às perguntas do começo do post?

-Mas afinal de contas, qual é o objetivo de Suzumiya Haruhi?

No geral, Suzumiya Haruhi no Yuutsu consegue ser uma série que baseia uma ideia original em vários clichês e modismos que a aproxima de diferentes tipos de público, sem falar no humor natural com o qual a história se apresenta e na produção de altíssima qualidade que traz tudo á vida de maneira espetacular; ou seja, pode ser uma boa forma de entretenimento divertido e descomplicado. Porém, o grande segredo para manter essa série de pé está em sua protagonista, que vai ser sempre alvo de debates calorosos quanto á sua personalidade. Quem curte um desenvolvimento de personagem pode adorar a forma como ela se transforma ao longo do anime, é uma personagem bem única até o momento e consegue até passar uma boa mensagem sobre crescer, amadurecer, entender que cada pessoa tem seu valor individual único.
É claro que não dá para dizer com certeza que passar essa mensagem era o objetivo da produção do anime. Especulações são ideias individuais.

-Esse objetivo foi atingido? Se foi seria este a razão de tanto sucesso da série?

Levando em conta o enorme número de fãs e de haters também, eu diria que sim. Nada melhor do que uma série que pode tanto ser um entretenimento descompromissado quanto uma capaz de gerar as mais diversas opiniões.

E fica aqui esta enorme reflexão sobre Suzumiya Haruhi no Yuutsu. Eu disse que era um post de pura empolgação minha xD Talvez eu tenha esquecido de alguma coisa que poderia falar, mas o principal é isso mesmo.
Até a próxima... Com o post de X-Men, claro (não vou adiar mais, prometo ^^) o/


(Só para desabafar... WHY, ENDLESS EIGHT?!?! T.T)

11 comentários:

  1. Saudações

    Um ótimo texto. Eu não havia parado para pensar na "desconstrução de Suzuzmiya Haruhi", nunca. Então, esta postagem me soou como sendo uma grata surpresa.

    Suzumiya é um anime que precisei encarar uma segunda vez para completá-lo pois, da primeira vez, mal passei pelo 1º episódio. Mas, com mais calma, assisti a obra até o final, e simplesmente fiquei muito satisfeito com o que vi.

    O Kyon é um dos personagens mais normais que já vi em todos os animes que já assisti. E isso é um elogio, e não um demérito.

    Continue com esse pique.

    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, concordo com suas colocações.

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post Mary, quase caiu uma lágrima ao ler tudo o que você descreveu, fazia tempo que não lia algo sobre a primeira temporada de Haruhi.

    Concordo com todas as suas virgulas, só um pequeno complemento: Haruhi até tenta ser de tudo (gênero) mas a série consegue ser extremamente forte no sci-fi.

    ResponderExcluir
  4. hahaha bom texto ^^
    eu n gosto da haruhi mas tbm não a odeio, seria algo como permanecer neutro ao personagem, pode parecer bobeira, mas enfim. Gostei do texto mostra um ponto de vista muito bom da série, que tem milhares de pontos de vista diferentes e estranhos . Gostei ^^

    ResponderExcluir
  5. Obrigada a todos os que comentaram, incluindo os que me contataram pelo Twitter. É ótimo trocar opiniões assim. =D

    @trucyx Sim, o sci-fi é colocado de uma maneira bem forte e interessante na série, mesmo não sendo o grande foco. Para quem curte, pode ser um prato cheio.

    @Daegar Gostar da Haruhi, detestá-la, ser neutro, tudo é válido: o importante é ter a mente aberta para o desenvolvimento pelo qual ela passa, que é incrível.

    ResponderExcluir
  6. Bela postagem Suzumiya Haruki é uma serie bem interessante e diferente e ate divertida.

    Sobre desconstrução de uma serie é quando você pega um gênero como o moe e coloca traços de realidade nele tipo madoka magica, evangelion entre outros que é de ficção mas tem traços de realidade então desconstrução não é destruir um estilo de gênero nem nada desconstrução não é destruição do gênero é algo totalmente diferente ate series teen pode ter desconstrução como a serie Skins.

    Essa minha resposta contra a sua postagem não é contra a sua postagem Mary e sim contra o video quest.

    ResponderExcluir
  7. Não consigo não ver este post como uma resposta ao vídeo quest, lol.

    Muito bom o texto, absorvi bem as ideias, trata-se de temas complexos que no fim são simplesmente como a mente de uma garota (ou até mesmo garoto) perdida(o).

    ResponderExcluir
  8. Acho que eu sempre pensei mais ou menos assim.O 1º episódio que eu assisti foi a Rapsódia da folha de bambu,o 1º da "2ª temporada",e,mesmo não entendendo nada,uma coisa se destacou:a protagonista,Haruhi.Ela quebra totalmente a regra dos protagonistas normais:certinhos,bonzinhos e politicamente corretos.Entretanto esse lado do desenvolvimento da personagem eu ainda,mesmo assistindo duas vezes a série,não tinha percebido.Uma história simples e ao mesmo tempo complexa:ISSO é Suzumiya Haruhi no Yuutsu.

    Já eu achei esse seu post não como uma resposta àquele video lá,mas sim como uma verdadeira interpretação da série,sem preferências ou coisas do tipo.

    ótimo post,cara!Vou acompanhar esse blog de vez em quando agora ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, a Haruhi é um tanto diferente. Mas aí entra o fator ame-ou-odeie do anime; tem quem se divirta com as maluquics dela, tem quem ache ela terrivelmente irritante. Mas ainda acho que quem se encaixa nesse segundo grupo deixa passar o desenvolvimento dela até o final da história.

      Obrigada pela atenção ^_^ Bom saber que ganho leitores mesmo com meus constantes hiatos. ^^"

      Excluir
  9. Preferi ler a Light Novel antes, esclarece muito quando você ver a descrição de todos os sentimentos possíveis. Afinal, não fica na especulação se foi isso ou aquilo,e no final é só "isso"(às vezes, não garanto confiabilidade, textos podem ser tão complicados quando imagens e vice-versa).
    Até na Light Novel, há uma inversão dos acontecimentos. Por exemplo, temos o primeiro volume que conta a história do início da brigada uns seis meses, já no segundo, passaram-se seis meses a mais, aí é a gravação do filme da brigada. Então o terceiro vai contando a história desses seis meses que foram pulados... Viu a coisa é louca mesmo. XD
    Com relação ao ENDLESS EIGHT, eu tenho uma explicação plausível. Quando você quer filmar e passar algo pro público, você espera que o expectador se envolva e se sinta parte da trama. É chato você dizer: "Então os outros dias foram do mesmo jeito até que..." isso distancia.(Opinião como estudante das artes cinematográficas)
    Enfim, amei o post! Ele captou muito bem a ideia que eu tive da série. Se o vídeo quest de que vocês falam for o mesmo que assisti, digo que eles não souberam perceber Haruhi por essa essência, é o que eu acho...(Eu gostei muito do jeito dela, ela não espera o mundo passar ela corre atras, e isso falta em muita gente) Valeu! o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que estou enrolando para ler a light novel faz um bom tempo. Tenho vários volumes aqui, mas ainda nem toquei neles...
      É bom saber que a obra original trabalha com inversões de acontecimentos também; isso provavelmente deu uma base para a produção do anime estender a ideia.

      Sobre o Endless Eight, estava discutindo isso recentemente com algumas pessoas no Twitter. É como você disse, a intenção é aproximar o espectador do que acontece. Diria também que isso nos leva a compreender melhor o que a Nagato passou e que isso foi de forte influência no que ocorre no filme.

      Obrigada pela atenção ^_^

      Excluir

Seja bem-vindo à seção de comentários. Fique livre para expressar sua opinião sobre o assunto em questão, mas atenção: seja educado e respeite as opiniões alheias. =)