domingo, 15 de abril de 2012

Momentos Iniciais da Temporada de Animes Primavera 2012

Olá a todos! Prontos para mais um post de estreia de nova temporada?

Após deixar muitos ansiosos com seu grande e diversificado número de títulos, aí está a Temporada de Primavera 2012. Sim, temporada tão diversificada que fica até difícil comentar todas as estreias que gostaria, mas posso garantir que desta vez estou comentando um número maior do que de costume.

Antes de começar as impressões, gostaria de falar sobre a enquete de anime mais esperado da temporada, que encerrou-se em finais de março. Mais ou menos como esperava - levando em conta os hypes nas comunidades e fóruns de anime por aí - o anime mais votado foi Fate/zero segunda temporada (36 votos), seguido de Sakamichi no Apollon (21 votos) e Zetman (9 votos); o restante dos votos encontraram-se distribuídos mais uniformemente entre as estreias. A enquete contou com 116 votos, o que considero um número bacana; foi um boa experiência que pretendo repetir de forma melhor e almejando resultados maiores.

Mas enfim, vamos aos comentários agora. Afinal, quais são os novos animes que até o momento estão cumprindo com as expectativas?

Impressões sobre: Natsuiro Kiseki, Medaka Box, Accel World, Sengoku Collection, Nazo no Kanojo X, Fate/zero segunda temporada, Shining Hearts, Tsuritama e Sakamichi no Apollon.


Natsuiro Kiseki
Produzido pelo estúdio Sunrise e dirigido pelo renomado Seiji Mizushima (Fullmetal Alchemist, Un-Go), Natsuiro conta a história de quatro amigas que conhecem uma forma de, juntas, tornar seus desejos realidade. O típico slice-of-life de quatro meninas moe vivendo sua vida comum...

...Quer dizer, se fosse típico ainda seria melhor. O primeiro episódio tenta jogar o espectador de cara em algum drama sem pé nem cabeça - como se a produção quisesse provar ao público que pode fazer slice-of-life de menininhas com drama e caracterização. O resultado é algo com linhas de diálogo ridículas na proposta do drama, para que não se percam os estereótipos moe puros. O que mais se aproveitou da estreia foi o character design charmoso... Dica? Slices de menininhas sem conflitos rendem mais do que isso, sério.

Medaka Box

Medaka Kurokawa é a nova presidente do conselho estudantil do colégio Hakoniwa, eleita com 98% dos votos. Quando assume o cargo, ela estabelece uma caixa em que qualquer estudante pode deixar uma mensagem caso tenha algum problema na escola; e o melhor amigo Zenkichi obviamente acabará envolvido com o conselho estudantil e com todas as encrencas que virão desta caixa de Medaka...

Diria que este começo do anime de Medaka Box, adaptação do mangá de NisiOisin na Shonen Jump, foi um pouco morno; o primeiro episódio é competente em sua introdução e até divertido, mas morno, e o segundo é um pouco inferior por lidar com situações num nível episódico mas de forma... digamos, inusitada. Pode-se notar um visual afiado do estúdio Gainax e semelhanças de estilo com Suzumiya Haruhi no Yuutsu e Bakemonogatari. Espera-se que venha uma combinação dos diálogos afiados de NisiOisin com bons elementos do shonen, mas por enquanto nada aqui é digno de muita empolgação. Há também um medo disseminado de que a peituda Medaka seja uma personagem perfeita demais, tornando-se desinteressante. Mas por enquanto, é esperar para ver.

Sengoku Collection

Adaptação de um jogo de rede social baseado na era Sengoku do Japão. Oda Nobunaga, jovem governanta do período e de cabelos rosados, descobre-se transportada a um mundo diferente - que seria nosso tempo atual. Após receber ajuda e abrigo de um jovem japonês, ela descobre em um sonho que precisa reunir outros indivíduos de seu período para voltar a seu mundo.

Sobre o primeiro episódio: banalização da história japonesa com um roteiro raso e cheio de fanservice? Confere. Visuais desinspirados? Confere. Personagens que são puros estereótipos sem vida? Confere. Suspeita de mais fanservice e clichês de harem pela frente? Confere também. E isto é um anime do Brains Base - sim, aquele estúdio insignificante responsável por Mawaru Penguindrum, Natsume Yuujinchou, Baccano! e Durarara!!. 

...É, ainda não me caiu a ficha que o Brains Base está a encargo de uma bizarrice como Sengoku Collection.

Nazo no Kanojo X

Akira Tsubaki é o típico garoto colegial com típicos devaneios sobre o amor e sobre como seria sua primeira namorada. Até que um dia, saindo da escola, Akira encontra sua estranha colega de sala Urabe Mikoto adormecida na carteira. Ao acordá-la, percebe que ela deixou uma poça de saliva enquanto dormia na carteira; quando ela se retira, Akira resolve experimentar essa saliva. Porém, nos dias seguintes essa experiência acaba rendendo um inesperado vínculo entre ele e Mikoto, que pode ser sua primeira experiência romântica.

Sim, esta premissa é extremamente bizarra - e vinda de um estúdio mal conhecido por aí, o Hoods Entertaintment. Eu mesma nem pretendia assistir a princípio... Mas acho que mudar de ideia foi uma boa pedida. Com uma arte que lembra animes mais antigos e uma execução forte, Nazo no Kanojo coloca o bizarro como elemento para levar a uma história cheia de descobertas honestas sobre o amor entre dois adolescentes. Não foi apresentado conteúdo apenas com propósitos de fanservice, tudo foi feito de forma meticulosa a demonstrar o envolvimento dos personagens com questionamentos realistas. Exige que a impressão inicial de "nojo" seja passada? Exige. Mas tem potencial para ser um romance "pés no chão" como pouco se vê por aí.

Fate/zero 2
 
Continuação direta da primeira temporada de Fate/zero, encerrada com um cliffhanger no final do ano passado. Nesses dois primeiros episódios desta nova temporada, vemos a conclusão do conflito entre Saber e Rider contra Caster e seu abominável monstro. Simultaneamente há ainda um conflito aéreo entre Archer e Berseker e um embate moral entre seus mestres, Tokiomi e Kariya, marcando o começo da metade mais frenética do anime.

É mais do mesmo que já foi visto na Temporada de Outono do ano passado - o que significa algo muito bom. Fate/zero pode não ser um anime com personagens fortemente capazes de criar algum vínculo com o espectador, mas a teia de conflitos e intrigas, os diálogos afiados e as cenas de ação altamente chamativas rendem um entretenimento que com certeza será um dos melhores do ano, tanto para os que curtem apenas algo cheio de ação quanto para os que procuram enredos com reflexões a mais a oferecer.

Accel World

Em um mundo cuja tecnologia permite que as pessoas mantenham-se conectadas à realidade virtual constantemente a partir de "neuro-linkers", Haruyuki Arita é um garoto baixinho, gordinho e com sérios problemas de auto-estima que sofre de constante bullying no colégio em que estuda e prefere isolar-se na realidade virtual - onde é conhecido através de um avatar de porquinho. Até que, ao conhecer e cativar o interesse da popular vice-presidente do Conselho Estudantil Kuroyukihime, acaba sendo escolhido para entrar no mundo de Brain Burst, um programa capaz de funcionar virtualmente 1000 vezes mais rápido que o normal. Mas para manter-se neste mundo, Haruyuki precisa manter-se vitorioso no jogo de lutas deste mundo virtual , o que não será fácil.

Sim, este é o "anime pipocão" da temporada: com a animação poderosa do estúdio Sunrise, a adaptação da light novel homônima de Reki Kawahara pode ser uma boa diversão cheia de feeling futurístico e ação empolgante. O único problema seria o protagonista: Haruyuki parece o típico personagem fraco que lamenta-se de forma apelativa e coloca-se a depender da mocinha bonita de forma cega (sem falar que ele não parece o tipo sem nenhum amigo, já que os colegas Chizu e Takumu parecem ser pessoas próximas a ele). Isso pode ser um empecilho no desenvolvimento; o anime pode ser divertido, mas é difícil colocar esperanças em contar com protagonistas fortalecidos ao longo da história, por enquanto.

Shining Hearts
 
Baseado em um RPG da Sega, Shining Hearts conta a história de Rick, um espadachim conhecido por trabalhar na padaria da ilha Wyndaria com suas três assistentes: Nellis, Amyl e Aerie. Após um dia de trabalho, incluindo alguns contratempos com elfos da região, uma estranha tempestade parece se aproximar, como prenúncio de algo mais sério que está por vir.

Francamente: só não dormi ou passei raiva neste episódio porque clima de fantasia medieval é como um anestésico para mim (e a trilha sonora me pareceu a coisa mais competente nesse quesito). Mas por mais inofensiva que esta estreia de Shining Hearts seja, ela é totalmente desprovida de personalidade - alguém consegue diferenciar as assistentes de Rick em personalidade? - e um clima de felicidade que chega a ser enjoativo. Sim, até dá para imaginar que a história melhorará adiante, mas esta estreia simplesmente não passa muita motivação para continuar assistindo. Sem falar que mal parece um anime do estúdio Production I.G., com uma parte técnica um tanto básica. E eu sinto falta de assistir algo realmente bom deles.
(E para não deixar passar: a ED é pura vergonha alheia. Quase fico constrangida assistindo.)

Sakamichi no Apollon

Verão de 1966. Kaoru Nishimi, entusiasta de música clássica, é um garoto que acabou de transferir-se para Kyushu para viver com parentes. Nos seus primeiros dias de aula, porém, encontra dificuldade em lidar com seus novos colegas e fazer novas amizades. Mas quando ele se aproxima da representante de classe Ritsuko e do delinquente Sentarou, acaba descobrindo o fascinante mundo do jazz - a partir do qual expandirá seus laços de amizade, amor e música.

E aqui estamos com a estreia mais esperada da temporada - que, no final das contas, em quase nada decepcionou. "Quase" porque com certeza esperava-se mais da OP e da ED - afinal, estamos falando de um anime com trilha sonora da conceituadíssima Yoko Kanno - , mas o restante do episódio seguiu em ritmo perfeito. Fidelíssima aos mangá, a estreia de Apollon apresenta os protagonistas e sua premissa de forma suave, com uma arte e animação muito acima da média - destaque para a luta de Sentarou no telhado da escola e a já épica cena da bateria - e uma promessa de slice of life sobre amadurecimento com muita música. Cheio de carisma e um feeling nostálgico, é o concorrente a anime do ano de muitos, podem anotar.

Tsuritama

Yuki Sanada é um jovem que vive com a avó, e acaba mudando-se com ela para Enoshima devido a seu trabalho. No novo colégio, Yuki sente uma tremenda pressão por preocupar-se com a impressão que causará a seus novos colegas; o medo de falhar em parecer uma boa pessoa o faz sentir-se como se estivesse afogando. Até que, logo no primeiro dia de aula, um garoto chamado Haru proclama-se um alien e insiste em levá-lo para... Pescar. E que quer salvar o mundo com ele. Contando ainda com um garoto profissional em pesca e um indiano acompanhado por um ganso no elenco, Tsuritama é uma das séries mais malucas da temporada.

E sim, maluca em um ótimo sentido. Se Sakamichi no Apollon tem um tom mais sóbrio em abordar o coming of age, Tsuritama, seu "parceiro" no noitaminA, procura lidar com isso de forma absolutamente vibrante e alucinada, com o diretor Kenji Nakamura utilizando de pleno potencial visual para demonstrar um ambiente vivo e as sensações de Yuki - que é uma forte representação daqueles que temem a imagem que passam de si próprios ao mundo a seu redor. A princípio não dá para saber exatamente até onde este anime vai, mas é possível notar que a série lidará de forma intensa com a química entre suas personalidades diversas abusando de uma arte e efeitos visuais coloridos e criativos, deixando boa parte do público curiosa.  A princípio, muito recomendado.

---

Pois bem, encerro aqui o post - por enquanto. Ainda há alguns animes de Abril para estrear - como Hyouka e AKB0048 - então é possível que eu venha atualizar este post posteriormente.

E agora deixo o espaço para vocês comentarem. Querem falar de alguma estreia não mencionada aqui? Tem uma opinião diferente? Fiquem à vontade. E até a próxima. :D

5 comentários:

  1. Dentre os novos animes o que mais me chamou a atenção foi Jormungand. Ninguém sabia direito sobre o que era mas ainda assim conseguiu convencer na sua estreia. Apollon é o que já esperavamos e Tsuritama é divertido. Dentre os outros, Kuroko no Basket é ótimo, Ginga & Kick off pode ser bom e Gakkatsu vai ser o melhor anime curto da temporada. De continuação, a que mais me agradou foi a de Kimi to Boku, mantendo o nível com que a primeira temporada havia terminado. Além, é claro, de Fate/Zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jormungand é um que ainda não tive tempo de conferir, mas ouço falar muito bem até o momento. Kuroko é um que penso em dar uma chance também, embora esportes não sejam muito o meu forte.

      Excluir
  2. Boa Noite Mary Vanucchi!


    Coisa um pouco diferentes do de costume: Mais estreias & diversidade(!?),Enquete,Mais(?) "Comentandos" etc.E vamos aos falados embaixo =

    {1}Natsuiro Kiseki : Exceto pelos diálogos(que não fluem -Óbvio!- nas mídias de pré-divulgação) os outros componentes já eram manjados,mas ao seu ver é forçação de barra meninhas numa vida tão felizinha ter algum problema passado convincentemente...Until this moment.

    {2}Medaka Box : Caixa de Sugestões/Reclamações habilitadas de uma forma peculiar. o.O E a protagonista "perfeita demais",esta característica
    associada ao quão a personagem possa ser solícita ou o quanto quiserem fazê-la errar,tem lá sua capacidade de se desenvolver.
    Obs.: A foto escolhida lembra alguma temporada de YUGI-OH!!!

    {3}Sengoku Collection : Deste li uma opinião mais amena,e portanto mais discordante da sua.O autor acho que sugeriu a um tipo de suspensão de
    descrença baseada em realidade alternativa e menor apego ao período feudal nipônico.Entretanto também teve um pé atrás...

    {4}Nazo no Kanojo X : Incitação a discussão sobre nojo correlacionando com fluídos corporais alheios.Desenvolveriam aí temas como ideias retrogradas,
    asco hipócrita,choques culturais,papos cabeças em animação DATADA etc?

    {4}Fate/zero 2 : Confrontos para derrotar o inimigo moral e fisicamente.Estão adorando,porém a mania impertinente de reclamar tanto quanto curte,persiste.

    {5}Accel World : Neste caso o mundo virtual tem amplo destaque(visual do Estúdio escolhido).Contudo,a barreira em vincular ou desvincular o roteiro inter-mundos por parte do público é o obstáculo deste.

    {6}Shining Hearts : Descreveu um Slice of Life.^^ E como eles parecem ingênuos e pacatos andando pela floresta que além do visual remete a Fairy's Tales.
    Não achei a ending do anime para opinar. =|

    {7}Sakamichi no Apollon : É o "OH MY GOD(OMG!)!" da temporada,segundo o pessoal.
    Nota: Os protagonistas nem podem ser considerados "BONITOS" que o gênero já virou Yaoi. ;[

    {8}Tsuritama : Caretas,seiyuus,sem medo de ser ridículos etc.Com um ritmo frenético muitos(talvez) efeitos deve manter esta impressão que teve.


    E a enquete com um resultado sortido assim abre o leque das oportunidades. =P
    Até..!

    ResponderExcluir
  3. Quando sai a análise completa de DBZ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sobre o novo filme também.

      Excluir

Seja bem-vindo à seção de comentários. Fique livre para expressar sua opinião sobre o assunto em questão, mas atenção: seja educado e respeite as opiniões alheias. =)