quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Primeiras Impressões da Temporada de Animes Inverno 2012

Olá a todos!

Pois bem, é chegada a hora de um post que já virou tradição aqui: as Primeiras Impressões dos animes da nova temporada. Começamos 2012 com estreias melhores do que esperava e até alguns que tem quase uma "garantia de qualidade" estampada em suas produções. Ainda assim, as novas séries ainda tem muito a mostrar, pois toda temporada tem suas surpresas e decepções.

Mas enfim, vamos observar como estão se saindo as estreias da Temporada de Inverno 2012?

Impressões sobre: Mouretsu Pirates, Nisemonogatari, Brave 10, Another, Poyopoyo Kansatsu Nikki, Natsume Yuujinchou Shi e Ano Natsu de Matteru. (OBS: se possível, incluo mais algum aqui.)


Mouretsu Pirates

Em um futuro onde viagens espaciais não são mais novidade e uma colônia espacial conquistou independência com ajuda de piratas espaciais há cem anos, a protagonista Marika é uma estudante e trabalha em um maid café. Até que, após a visita de dois desconhecidos a sua casa, ela descobre que seu pai, falecido há pouco tempo, era um pirata espacial - legalizado, graças ao "Tratado de Marque" estou traduzindo por conta própria esse nome, já que assisti em inglês (avisando para evitar polêmicas) - e que, segundo as tradições, ela deve herdar seu posto como capitã da nave Bentenmaru. Tudo isso seguido do surgimento de uma nova estudante em sua turma e um tanto de sujeitos mal-encarados atrás de Marika...

Não vou mentir aqui: essa estreia me empolgou, sério. Ótima animação, arte de cenários (que a Satelight já demonstrou bem em Ikoku Meiro no Croisée) e personagens colorida e encantadora e uma boa direção para conduzir a introdução da premissa e deixar um cliffhanger esperto no final do episódio para deixar as expectativas de pé para o próximo. Sem falar no ótimo trabalho de dublagem (eu particularmente gostei muito do trabalho da Makiko Komatsu como Marika, e a Kana Hanazawa está perfeita como sempre) e a expectativa de um grande elenco de personagens e lutas espaciais em um anime que pode ser uma tremenda diversão.

...Só que... Nem tudo são flores. Maids, moe e colegiais: estão aí para agradar aquele famoso público otaku hardcore.  Se isto tornará-se um empecilho na narrativa, não dá para saber ainda, mas fica aí a "zona de risco". De qualquer forma, ansiosa para o próximo episódio.

(Btw, a OP é irritante, mas a ED é bacana, quase viciante.)

Nisemonogatari

Da série de Light Novels do afamado NisiOisin; continuação de Bakemonogatari, desta vez com participação maior das irmãs Araragi. Logo no primeiro episódio temos mais amostras do amor "excêntrico" de Hitagi por Koyomi, conhecemos um pouco da personalidade de Tsukihi Araragi e aproveitamos mais alguns momentos hilários de diálogos entre Koyomi e Mayoi...

Ok, este aqui é estritamente para quem assistiu Bakemonogatari. Honestamente? Se amou a série anterior, vai amar esta; se odiou, vai odiar esta; e por aí vai. Temos aqui a mesma arte excêntrica e criativa do estúdio SHAFT, a mesma direção pretensiosa porém funcional e impactante do Shinbo Akiyuki e o mesmo uso de câmera que é um dos mais sensacionais que já vi em anime. Os diálogos continuam tocados de forma a não cansar - aliás, no meu caso me diverti para caramba com as disputas verbais entre Koyomi e Mayoi - e contam com a ótima interação entre os personagens (e aqui elogio mais as personagens femininas, o Koyomi é um pouco genérico). Continuação direta de Bakemono, mesmo nível de qualidade - talvez até superior em animação, com uso menor daqueles quadros escuros/vermelhos tão conhecidos entre os fãs.

E para quem ainda não assistiu o primeiro anime: 15 episódios, corram que ainda dá tempo; é um material overrated, mas não deixa de ser bem bacana. E recomendo o post do Elfen Lied Brasil sobre o anime, ampliando bem os pontos de vista a respeito dele.

Brave 10

Baseado na lenda dos Dez Bravos de Sanada do período Sengoku. Após sobreviver e escapar da destruição do templo de Izumo ordenada por Tokugawa Ieyasu, a sacerdotisa Isanami é salva de um ataque de assassinos pelo ninja Saizou Kirigakure e pede-lhe ajuda para chegar ao castelo de Shinshuu Ueda, onde pretende conseguir a ajuda de Sanada Yukimura. A princípio Sanada recusa, mas após um conflito com alguns assassinos de Ieyasu, ele revela estar a procura de dez guerreiros habilidosos para os conflitos que virão. E claro, há algum mistério especial em torno de Isanami...

O que dizer sobre este? "Foi OK." Tudo bem que não sou uma das grandes chegadas em shounens de luta, mas sério, estreia dentro da média. O mais excepcional estaria na equipe de seiyuus (Daisuke Ono e Kamiya Hiroshi, OH YES!), mas nada além disso brilhou muito. Não possui animação super fluida, arte destacada ou originalidades no roteiro, mas é garantia de muitas cenas de luta. Para os fãs de shounen e para as fangirls que curtem uns belos guerreiros deve sair-se bem, mas sinceramente parece título a ser esquecido fácil. De qualquer forma, não deve gerar reações de ódio. Veremos como se sai, mas da minha parte não garanto assistir inteiro.

Another

Uma história em 1998 em uma cidade do interior. Kouichi Sakakibara é um estudante transferido, porém passa suas primeiras semanas na nova cidade hospitalizado, por estar com o pulmão doente. Antes de iniciar as aulas, alguns eventos se sucedem: os representantes de sua nova turma visitam-no no hospital, questionando se ele não viveu na cidade antes; depois, ele encontra-se com uma misteriosa garota vestindo um tapa-olho e carregando uma boneca no elevador do hospital. Já saudável para frequentar sua nova escola, Kouichi repara em uma carteira antiga e vazia, destacando-se do restante da sala... E após encontrar de novo com a garota do elevador, Misaki Mei, no telhado, ela afirma não lembrar-se do encontro anterior e que o nome dele simbolizava uma morte macabra a seus colegas de turma...

Eu já andei lendo opiniões sobre Another e conversando a respeito. Diria que, para alguém como eu que não acompanha muito o gênero horror/terror, esta foi a segunda melhor estreia da temporada. Começando pela arte impecável da P.A. Works, com cenários lindíssimos, boa adaptação do character design original de Noizi Ito (design deste anime inferior ao de outras produções do estúdio, mas ainda assim acima da média) e um ótimo uso de todos os elementos para criar o necessário para a proposta: clima de suspense. O uso de cores vivas porém com tons escuros, a trilha sonora equilibrada para estar ausente e presente nos momentos necessários, o uso de câmera e a apresentação de todos os mistérios que precisam ser encaixados. Afinal, agora o espectador espera que seja explicado o significado das bonecas mostradas brevemente; se a Misaki é mesmo um fantasma; e qual a ligação de Kouichi com o assassinato de 1972 que traumatizou uma classe inteira... Altas expectativas aqui.

Poyopoyo Kansatsu Nikki

Maru é um gato perdido encontrado e adotado pela jovem Moe. Temos aqui uma vida doméstica totalmente mudada conforme Maru apronta suas fofas aventuras pela casa, desagradando ao irmão de Moe mas encantando todos ao redor...

Ok, esta é uma daquelas séries de três minutos por episódio que todos esquecem em três tempos. E ainda por cima com uma arte medíocre (é, soa ofensivo mas é verdade). Mas quer saber? Após ler os comentários da @walkerRah no Twitter (e seu post de primeiras impressões do anime) resolvi dar uma olhadinha. E quer saber mais? Diferente do cretino Morita-san que tive o desprazer de experimentar em julho, Poyopoyo é divertido, inofensivo. Para passar três minutos assistindo um gato redondinho fazendo coisas fofas, é agradável. Mas não consegue ganhar o título de gato da temporada, já que temos o querido Nyanko-sensei do anime que comentarei a seguir...

Natsume Yuujinchou Shi

Quarta temporada de Natsume Yuujinchou. Takashi Natsume é um jovem que tem a habilidade de enxergar espíritos (youkais) que outras pessoas não conseguem ver, e sofreu muito com isso. Até que ele herda de sua falecida avó, Reiko Natsume, o Livro de Amigos - Yuujinchou - que contém nomes de youkais que Reiko derrotava em sua juventude e colocava sob controle. Agora, Takashi pretende devolver os nomes a seus respectivos youkais, sempre acompanhado do nobre youkai Madara - conhecido carinhosamente como Nyanko-sensei, por passar maior parte do tempo na forma de um gato da fortuna.

Opa, agora sim! Segurem-se aí pois este é o ANIME DA TEMPORADA - pelo menos para mim, hohoho! Desculpa, Another e Nisemonogatari, mas contra Natsume, super bem-sucedido em suas três temporadas (sim, senhoras e senhores, eu comprovei há pouco minha aposta anterior de que Natsume Yuujinchou San foi o melhor anime de 2011 que não assisti) e com 99,9% de chance de manter o nível elevado nesta quarta temporada com sua consistente direção - começando já com um mini-arco de dois episódios sensacional - suas estreias são passadas para trás. Prometo fazer uma retratação se as coisas derem errado, ok?

E para quem não assistiu: não sabe o que está perdendo. Natsume Yuujinchou possui uma das melhores linhas episódicas que já assisti, com sua animação suave e casos e personagens capazes de tocar as emoções do espectador em três temporada de 13 episódios cada que não baixam o bom nível em nenhum instante. Uma pérola entre os shoujos, um tanto underrated aqui entre o público ocidental. E após esta quarta temporada acabar, não vou deixar a chance de escrever um review passar. Em abril/maio, fiquem de olho.

Ano Natsu de Matteru

Enquanto experimentava sua nova câmera em uma noite, o aspirante a cinegrafista Kaito acaba sendo vítima da chegada de uma nave alienígena na Terra e quase morre. Porém, esquecido do acontecimento da noite, prossegue com sua vida normal de colegial. Até que conhece uma nova, bela e tímida estudante: Ichika Takatsuki. Com a ajuda de alguns amigos, consegue convidá-la a participar de um filme que pretende gravar, e assim quem sabe consiga aproximar-se dela com um sentimento mais romântico. Só que após convidar Ichika a passar a noite em sua casa - já que a garota não tinha onde ficar - alguns efeitos colaterais do acidente alienígena surgem, e adivinhem quem é a garota alien que precisa salvá-lo mais uma vez...

Ok, J.C.Staff: Não vou muito com sua cara por topar com um tanto de produções medianas suas nos últimos tempos. Mas com esta estreia surpreendeu-me e pode surpreender ainda mais, já que Ano Natsu possui um visual acima da média com um character design natural e agradavelmente colorido, animação acima da média e ritmo calmo porém não-entediante. Ainda não estou muito no pique disto - talvez até um pouco por causa do final com sua dose de fanservice - mas deve ser o romance da temporada, com boas doses de amizade e alguns dramas - só não pode exagerar justamente nos dramas, mas acho que as chances disso são mínimas. Quanto a ser um sucessor espiritual de Onegai Teacher, como alguns reviewers têm comentado, não me perguntem, não assisti Onegai; estou comentando Ano Natsu como se não tivesse acompanhado outra premissa tão semelhante, e foi uma experiência agradável que não entediou em nenhum instante.

---

Bem, fica aqui o post de Primeiras Impressões da temporada. Como mencionei lá em cima, talvez adicione alguma outra estreia, mas provavelmente ficarei por aqui mesmo.

E repito - vocês sabem que é importante deixar um espaço aberto a vocês: comentem o que acharam destas estreias e se quiserem até de outras que não estão incluídas no post. Quais suas apostas para melhor da temporada? Qual superou expectativas e qual ficou abaixo da média? Agora é com vocês. :D

17 comentários:

  1. Bem legal tuas análises Mary. Achei meio interessante o Mouretsu Pirates, acho que vou ver o primeiro episódio pra ver qual é.
    E Another no início tinha me interessado, já agora, depois de ver uma galera falando que não é tão interessante assim, acho que vou deixar pra outra hora xD
    E achei muito legal o novo layout do blog, ficou muito bom!!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mouretsu deve ser o mais divertido da temporada; é como eu comentei, só não pode escorregar porque boa direção tem.

      Já Another é como a Suzi disse, dividiu opiniões, principalmente entre o pessoal mais familiar ao gênero de terro/horror. Mas talvez penda mais para o lado do mistério.

      Obrigada ^.^ Feliz de ver como bastante gente gostou.

      Excluir
  2. Agora,sim, Mary!Natsume na lista de alguém da blogosfera otaku (tirando o Qwerty). \o/ Eu só não sei como um animê tão bom passou batido entre vocês (juro).
    Anyway, só assisti Mouretsu (pode dar certo). Another (Talvez). Brave 10 (shounenzão da temporada).Nisemonogatari (Igual ao anterior^^). Não vi as outras estreias, já que na minha lista só estava Natsume...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Suzi, também não entendo. Uma produção ótima do Brains Base, nunca se perde em seu ritmo calmo.

      Mouretsu vai tentar ser diversão, e as chances de sucesso são grandes mesmo.
      Pelo que percebi de Another pelos comentários do fandom, não tem muita novidade no gênero, mas a execução e parte técnica da P.A. Works me parece de ponta. Brave 10 é shounenzão mesmo, e deve cumprir seu papel. Nisemonogatari é igual a Bakemono, então já está ótimo. =)

      Excluir
    2. Assisti ,ontem "Ano Natsu de Matteru"... que nostálgico! (Onegai Teacher total).

      Excluir
  3. Assisti quase todas as estreias. Das que eu vi a que menos me agradou foi Area no Kishi. Das que você comentou, não assisti Poyopoyo e nem Natsume Yuujinchou. Das demais, tenho opinião parecida, apesar de gostar mais de animes de luta.
    Mas o melhor de todos foi Kill me baby. Nonsense total, mas extremamente engraçado. Ri durante o episódio inteiro. Espero que continue assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Area no Kishi não tenho vontade de conferir. Não que eu imagine que seja ruim, é simplesmente por não ser chegada em futebol.

      Kill me Baby me parece a típica comédia que tem dividido fortemente opiniões; uns adoraram, outros detestaram. Acho que ficarei só com Dansei Koukosei no Nichijou de comédia nesta temporada, este promete muito. =)

      Excluir
  4. =-)

    Impressões abaixo até o momento atual destas animações =

    1.Mouretsu Pirates:

    Com um razoável trabalho nestes pontos já unidos do enredo algo que dê agradável entretenimento deve sair daí.Tem ainda uma boa interação na sua
    cartela de cores vibrantes e uma levemente promissora interação com a
    Computação Gráfica(CG).
    Quanto a abertura não sei quem canta,porém se retirasse a segunda voz e privilegiasse um revezamento como num dueto e subida de tom do back vocal
    clássico ficaria melhor.Já o encerramento é uma mistura daquela apressada
    "falação do rap" com o tecno e o pop para depois ficar predominantemente uma espécie de tecno-pop.Tem reconhecível apelo pop,mas sem 'exageros'.

    2.Nisemonogatari:

    OP com criativo e móvel efeito formação da silhoueta,dos ideogramas e do cenário.No ED deste pop rock o vocal ficou abafado pelo instrumental[ao menos na qualidade achada].Necessita de pré-conhecimento do anterior Bakemonogatari para não se ficar voando na estória que rende já algumas variações em sua interpretação.

    3.Brave 10:

    São 10 bravos,diferenciados,confiantes e "falastrões" guerreiros.Mais referências a Batalha de Sekigahara pela frente e variados personagens a
    escolher.O carisma e o ritmo,e ainda nenhum forte contra-ponto devem segurar a série.

    4.Another:

    Superestimada estréia e por consequinte decepção de muitos.A arte de P.A. Works foi bem elogiada;contudo a maioria quis um ritmo e 'roteiro'
    diferenciado,mesmo sendo na narrativa a fase de Apresentação.
    Aos menos afoitos deve render um bom espetáculo.

    5.Poyopoyo Kansatsu Nikki:

    Fofura para maratonizar ou diversão leve entre uma coisa ou outra que estiver fazendo.Dependendo da predisposição de quem assiste é para rir e
    relaxar,contudo sem nada que aspire a clássico.

    6.Ano Natsu de Matteru:

    Depende de quando conseguir fazer você empatizar com a situação do 'casal tímido & inusitado'.Conta ainda com boa fotografia e um 'charme suburbano'.

    --- Como sugestão totalmente descompromissada qualquer/quaisquer um destes valeria comentar devido ao tamanho/'propostas' =

    - DBZ:Episode of Bardock (Outros)
    - Rurouni Kenshin:Meiji Kenkaku(Ova)
    - Dragon Age:Blood Mage no Seisen(Filme)
    - Busou Chuugakusei:Basket Army (Web)
    - Ai no Kusabi (Série)

    ** Sobre seu post conseguiu um razoável aprofundamento e boa descrição,
    exceto quando ligou o "Fã Girl Mode !!!"

    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o back vocal na OP de Mouretsu é horrível mesmo. Só aumenta o medo de uma predominância moe exagerada. Já a ED é a melhor da temporada até o momento, com esse tom tecno-pop, mas isso não é muita coisa.

      Brave 10 provavelmente não é "minha praia" mesmo, mas como você disse tem bastante carisma; vai agradar pela ação mas não deve causar surtos.

      Another parece ter causado mais revolta pela narrativa menos convencional, pois até que tem bastante coisa a contar ali.

      Já Ano Natsu não coloco muita fé... Por mais que a produção esteja acima da média para os padrões do estúdio, tem jeito de que vai abusar um pouco mais do fanservice, como os mais conhecido de Onegai Teacher já me avisaram.

      Obrigada pelas sugestões, se possível tentarei analisar algum desses. Só não faria com certeza de DBZ ou Rurouni Kenshin que são franquias com as quais tenho menos contato. ^^'

      E desculpe, não resisti ligar o Fangirl Mode com Natsume >///<" É uma série que me encantou demais em pouco tempo e tem um dos diretores em que mais confio. A estreia só cumpriu com as expectativas, difícil demais sair do alto nível. =)

      Excluir
    2. Pois é,até que entendo e nem me importo tanto com o 'Modo Fã' ligado no 220(Volts)nos blogs quando não prejudica a argumentação. ;P
      DON'T WORRY !
      Quanto as indicações reitero que são apenas sugestões e além disto
      descompromissadas para não tirar o prazer de assistir as obras.E até entendo o descarte de Dragon Ball e Rurouni Kenshin pelo domínio que deu a entender ter para criticá-los.

      ValeU!

      Excluir
  5. Como sempre, afiada nos comentários, Mary.

    Sobre Natsume Yuujinchou, engraçado que sempre ouvi comentários super positivos desse anime, mas nunca corri atrás, até mesmo porque, quando entrei no fandom (de verdade), já tinha estreado há tempos. Mas estou bem empolgada pelo que posso encontrar pela frente quando for assistir.

    Quanto a Ano Natsu de Matteru,
    Já espalhei meu rage por ai e vou faze-lo novamente. Achei muito sem sal, uma pelotão de personagens arquétipos ao cubo. Parece que é aniversário da JC STAFF e resolveram aglomerar no mesmo anime, todos os personagens padrões da casa. E claro, na festa não poderia faltar o característico ecchi, que já é peculiar ao JC STAFF. Espero por uma melhora, do que para o meu ponto de vista, parecia ser o tipo de anime pra toda a família, diversão garantida. Mas nem tenho esperanças >.<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Roberta ^^

      Natsume é o tipo de série que se segurou muito bem em três temporadas de ritmo episódico, e a sensibilidade e humanidade que apresenta é ímpar. Mais um motivo para o Takahiro Omori ser um de meus diretores favoritos.

      Quanto a Ano Natsu, achei que pudesse haver uma boa química entre estes personagens, mas não é nem de longe um AnoHana - que de cara nos deixou claro que o que iria mostrar seria um conto tocante sobre amizade e superação, e não decepcionou pelos bons personagens. Em Ano Natsu eles parecem uma coletânea de arquétipos, mas parece que vão se guiar em uma série calma. Embora eu senti um pequeno risco de cair em drama exagerado.

      Excluir
  6. Ah, na parte técnica, Ano Natsu de Matteru tá lindo demais, muito lindo. Nem parece anime do estúdio JC STAFF XDDDDDDDDDDDD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, isso é verdade. Já havia lido bons comentários sobre a parte técnica, mas me impressionei quando baixei o episódio. xD

      Excluir
  7. Saudações


    Ficou muito boa a sua análise da temporada, Mary.

    Sobre Ano Natsu de Matteru, eu falarei como fã de Onegai Teacher e de Onegai Twins: literalmente, o anime trouxe referências das duas séries citadas (especialmente Teacher), colocando-as na tela de uma forma amigável e interessante.
    Friso, também, que se tais referências se concretizarem, o anime poderá mostrar mais fanservice ainda (em outras palavras, o visto no final do primeiro episódio poderá ser interpretado como um tipo de "boas vindas"). Só não sei definir qual será o nível deste fanservice, o que prezo para que o mesmo não seja muito pesado...

    Seria interessante você assistir as duas séries Onegai daqui algum tempo, Mary, para notar as semelhanças existentes. É bem verdade que não se faz obrigatório ter assistido às outras séries para ver Ano Natsu, mas pode auxiliar muito na compreensão no desenrolar do mesmo.

    Ótimo texto.


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carlírio. ^^

      Percebi que muita gente sentiu nostalgia de Onegai quando assistiu Ano Natsu, achei interessante que este projeto soe como uma homenagem aos fãs da franquia sem afastar novos espectadores. Ainda assim, estou com um pé atras, tenho problemas em confiar muito na J.C.Staff. ^^" E espero que o fanservice não seja muito pesado mesmo, confesso que tenho uma barreira forte contra esse tipo de conteúdo em níveis muito altos.

      Talvez assista as séries Onegai algum dia, mas não sei se coloco em uma lista de prioridades. Ainda assim, é um nome do qual ouço falar há um bom tempo. =)

      Excluir

Seja bem-vindo à seção de comentários. Fique livre para expressar sua opinião sobre o assunto em questão, mas atenção: seja educado e respeite as opiniões alheias. =)